Porto Alegre, domingo, 23 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Irã

23/02/2020 - 19h16min. Alterada em 23/02 às 19h50min

Irã tem a menor participação de eleitores em pleito desde 1979

Eleitores tinham opções limitadas, já que mais de 7 mil candidatos foram desqualificados

Eleitores tinham opções limitadas, já que mais de 7 mil candidatos foram desqualificados


ATTA KENARE/AFP PHOTO/JC
O Ministério do Interior do Irã anunciou que 42,57% dos eleitores participaram da eleição parlamentar de sexta-feira (21), com o número ficando abaixo de 50% pela primeira vez desde a Revolução Islâmica, em 1979. Os radicais iranianos conquistaram todos os 30 assentos na capital, Teerã. O ex-prefeito da cidade Mohammad Bagher Qalibaf, um dos principais candidatos ao cargo de orador parlamentar, teve mais de 1,2 milhão de votos.
O Ministério do Interior do Irã anunciou que 42,57% dos eleitores participaram da eleição parlamentar de sexta-feira (21), com o número ficando abaixo de 50% pela primeira vez desde a Revolução Islâmica, em 1979. Os radicais iranianos conquistaram todos os 30 assentos na capital, Teerã. O ex-prefeito da cidade Mohammad Bagher Qalibaf, um dos principais candidatos ao cargo de orador parlamentar, teve mais de 1,2 milhão de votos.
Os eleitores tinham opções limitadas, já que mais de 7 mil candidatos foram desqualificados, a maioria reformistas e moderados. Entre os desqualificados, 90 são membros do Parlamento que queriam concorrer à reeleição.