Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Alterada em 28/01 às 13h04min

Alemanha tem primeiro caso de coronavírus; pessoa infectada não esteve na China

Paciente é um homem de 33 anos, infectado por uma colega que esteve na China

Paciente é um homem de 33 anos, infectado por uma colega que esteve na China


HECTOR RETAMAL/AFP/JC
O primeiro caso de coronavírus chinês anunciado pela Alemanha na segunda (27) também é o primeiro caso na Europa de uma pessoa que contraiu o vírus sem ter ido à China. O paciente é um homem de 33 anos que foi infectado na Baviera (a cerca de 500 km de Berlim) por uma colega que esteve na China.
O primeiro caso de coronavírus chinês anunciado pela Alemanha na segunda (27) também é o primeiro caso na Europa de uma pessoa que contraiu o vírus sem ter ido à China. O paciente é um homem de 33 anos que foi infectado na Baviera (a cerca de 500 km de Berlim) por uma colega que esteve na China.
De acordo com a Secretária Estadual de Saúde e Segurança Alimentar da Alemanha (LGL), o paciente está isolado e sua situação é considerada estável. Os familiares e pessoas com quem ele teve contato foram informados sobre a doença e sintomas.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
Apesar disso, o Ministério de Saúde da Baviera e a LGL consideram baixo o risco para uma epidemia na região. "Atualmente, a equipe de infectologia da Força-Tarefa do LGL e o Instituto Robert Koch consideram baixo o risco de a população da Baviera ser infectada pelo coronavírus chinês".
O ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, disse nesta terça que pediria aos pilotos de aeronaves que informassem as torres de controle sobre a saúde dos pacientes vindos da China antes de pousarem na Alemanha.
"Também solicitaremos aos viajantes vindos da China que preencham certos formulários na chegada, sobre como contatá-los nos próximos 30 dias e onde ficarão hospedados. Também obrigaremos as companhias aéreas a manterem as fichas em arquivo por 30 dias, para que as informações possam ser solicitadas, se necessário, a fim de contato em caso de emergência", disse.
No Japão, uma pessoa que também não visitou a cidade chinesa de Wuhan contraiu o coronavírus,informou nesta terça-feira (28) o Ministério da Saúde do país.
O homem infectado é um motorista de ônibus turístico na casa dos 60 anos, da cidade de Nara, que teve contato com visitantes de Wuhan entre 8 e 16 de janeiro. Ele começou a apresentar sintomas em 14 de janeiro e foi hospitalizado no dia 25 antes de ser diagnosticado, segundo o comunicado.
As novas infecções elevam o número total de casos japoneses confirmados para seis.

O coronavírus

Até esta terça (28), ao menos 106 pessoas na China morreram por causa do vírus e mais de 4.000 foram infectadas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maioria das pessoas que morreram era idosa e tinha outros problemas de saúde associados, como diabetes e doenças cardiovasculares.
A epidemia de coronavírus começou semanas antes do Ano-Novo chinês, comemorado no sábado (25), Centenas de milhões de pessoas fazem bilhões de viagens pelo país por causa das festividades, o que deve ter aumentado a transmissão.
Para impedir que o vírus se espalhe ainda mais, autoridades isolaram 13 cidades da província de Hubei, área com cerca de 40 milhões de habitantes, e anunciaram o fechamento de diversas atrações turísticas.
A Cidade Proibida, trechos da Grande Muralha, os túmulos da dinastia Ming e a floresta Yinshan Pagoda não terão mais acesso de turistas até segunda ordem. O Estádio Nacional de Pequim, conhecido como Ninho de Pássaro, construído para os Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, também teve suas portas fechadas.
Os serviços de transporte público na província foram totalmente paralisados.O uso de máscaras em prédios públicos se tornou obrigatório e aqueles que desrespeitarem a medida estão sujeitos a responsabilização legal.
Na quinta (23), a OMS disse que ainda era cedo para declarar uma emergência internacional de saúde pública por causa do coronavírus, mas na segunda (27) admitiu o erro e elevou o risco internacional.
Folhapress
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia