Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mianmar

- Publicada em 02h12min, 24/01/2020. Atualizada em 03h00min, 24/01/2020.

Corte Internacional ordena que Mianmar proteja muçulmanos rohingyas

A Corte Internacional de Justiça (CIJ) ordenou, nesta quinta-feira, que Mianmar tome "medidas urgentes" para proteger os muçulmanos rohingya de perseguição e atrocidades, e preserve evidências de crimes contra eles. Desde agosto de 2017, quase 740 mil rohingyas buscaram refúgio em Bangladesh para escapar dos abusos do exército birmanês e de milícias budistas, classificados como "genocídio" por investigadores da Organização das nações Unidas (ONU).
A Corte Internacional de Justiça (CIJ) ordenou, nesta quinta-feira, que Mianmar tome "medidas urgentes" para proteger os muçulmanos rohingya de perseguição e atrocidades, e preserve evidências de crimes contra eles. Desde agosto de 2017, quase 740 mil rohingyas buscaram refúgio em Bangladesh para escapar dos abusos do exército birmanês e de milícias budistas, classificados como "genocídio" por investigadores da Organização das nações Unidas (ONU).
Essa é a primeira vez que as denúncias de abuso contra essa minoria chegam ao tribunal, sediado em Haia, na Holanda. O resultado final do julgamento pode demorar anos, mas a decisão desta quinta-feira diz respeito a um pedido de Gâmbia e outras 57 nações para tomar medidas urgentes preliminares.
Comentários CORRIGIR TEXTO