Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de dezembro de 2019.
Dia Internacional do Migrante.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Edição impressa de 18/12/2019. Alterada em 18/12 às 03h00min

Justiça venezuelana autoriza processo contra opositores por conspiração

O Tribunal Superior de Justiça (TSJ) da Venezuela aprovou o indiciamento de quatro deputados de oposição por traição, rebelião e conspiração durante a tentativa de derrubar o governo de Nicolás Maduro, em 30 de abril. Todos os quatro - Jorge Millán, Hernan Alemán, Carlos Lozano e Luis Stefanelli - são ligados ao autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. Nos últimos sete meses, 23 deputados foram processados pelo levante.
O Tribunal Superior de Justiça (TSJ) da Venezuela aprovou o indiciamento de quatro deputados de oposição por traição, rebelião e conspiração durante a tentativa de derrubar o governo de Nicolás Maduro, em 30 de abril. Todos os quatro - Jorge Millán, Hernan Alemán, Carlos Lozano e Luis Stefanelli - são ligados ao autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. Nos últimos sete meses, 23 deputados foram processados pelo levante.
O processo foi montado pelo procurador-geral, Tarek William Saab, que solicitou o indiciamento dos deputados. Ontem, eles perderam a imunidade parlamentar por decisão da Assembleia Constituinte.
Em pronunciamento, Saab afirmou que os quatro faziam parte de um plano, revelado recentemente, para tomar instalações militares no estado de Sucre com o objetivo de "desestabilizar o Natal" dos venezuelanos. A lista de crimes atribuídos a eles é longa: rebelião civil, traição à pátria, conspiração, instigação à rebelião e usurpação de funções. Os quatro deputados negaram as acusações e denunciaram o processo como uma nova ofensiva do governo de Maduro para desmantelar a Assembleia Nacional, presidida por Guaidó.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia