Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ásia

Edição impressa de 17/12/2019. Alterada em 17/12 às 03h00min

Japão pede que Seul retifique posição sobre trabalho forçado durante a Segunda Guerra

O chanceler japonês Toshimitsu Motegi reiterou, no domingo, a posição de que a Coreia do Sul deve retificar violações de direito internacional e da questão de trabalhos forçados realizados no período da Segunda Guerra.
O chanceler japonês Toshimitsu Motegi reiterou, no domingo, a posição de que a Coreia do Sul deve retificar violações de direito internacional e da questão de trabalhos forçados realizados no período da Segunda Guerra.
Ele afirmou que a deterioração nas relações entre os dois países é fruto das questões de trabalhos forçados. No ano passado, a Suprema Corte da Coreia do Sul ordenou que firmas japonesas pagassem indenizações para os autores de ações que alegam ter sido, eles próprios ou seus familiares, forçados a trabalhar em empresas japonesas no período da Segunda Guerra Mundial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia