Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Colômbia

Edição impressa de 21/11/2019. Alterada em 21/11 às 03h00min

Por temor de violência, Colômbia fecha fronteiras com Brasil, Equador, Venezuela e Peru

O governo da Colômbia informou que manterá fechadas todas as fronteiras terrestres e fluviais do país com Brasil, Equador, Venezuela e Peru até as 5h (horário local) de sexta-feira, 22 de novembro, para "garantir plena normalidade no desenvolvimento das marchas que serão realizadas nas diferentes regiões do país na quinta-feira, 21 de novembro".
O governo da Colômbia informou que manterá fechadas todas as fronteiras terrestres e fluviais do país com Brasil, Equador, Venezuela e Peru até as 5h (horário local) de sexta-feira, 22 de novembro, para "garantir plena normalidade no desenvolvimento das marchas que serão realizadas nas diferentes regiões do país na quinta-feira, 21 de novembro".
Em comunicado, o Ministério de Migração colombiano informa que, ao se reabrir as fronteiras na sexta-feira, haverá um reforço nas operações, "a fim de evitar congestionamentos de viajantes que se encontram represados no território nacional". Ao todo, 12 pontos de fronteira estão fechados.
Conforme a mídia colombiana, a decisão do governo foi tomada diante do temor de violência, após o serviço de inteligência do país detectar a intenção de estrangeiros de se infiltrarem nas manifestações. Os colombianos protestam contra reformas empreendidas pelo governo do presidente Iván Duque, entre elas, a trabalhista e a previdenciária.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia