Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 27 de outubro de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

uruguai

Alterada em 27/10 às 21h43min

Governista Daniel Martínez e Lacalle Pou devem fazer 2º turno no Uruguai

O candidato governista Daniel Martínez e o oposicionista Luis Lacalle Pou devem fazer um segundo turno para decidir quem será o próximo presidente do Uruguai, segundo resultados da boca de urna. Candidato da coalizão de centro-esquerda Frente Amplo, que está no poder, Martínez teria obtido entre 37% e 41% dos votos, segundo três pesquisas de boca de urna difundidas pelos canais de televisão 4, 10 e 12, a partir de trabalhos dos institutos Cifra, Opción e Equipos. Lacalle Pou, por sua vez, teria entre 29% e 30%.
O candidato governista Daniel Martínez e o oposicionista Luis Lacalle Pou devem fazer um segundo turno para decidir quem será o próximo presidente do Uruguai, segundo resultados da boca de urna. Candidato da coalizão de centro-esquerda Frente Amplo, que está no poder, Martínez teria obtido entre 37% e 41% dos votos, segundo três pesquisas de boca de urna difundidas pelos canais de televisão 4, 10 e 12, a partir de trabalhos dos institutos Cifra, Opción e Equipos. Lacalle Pou, por sua vez, teria entre 29% e 30%.
Em terceiro lugar estaria o candidato do Partido Colorado, Ernesto Talvi, com uma porcentagem de votos entre 12% e 14%. E em quarto lugar o candidato do direitista partido Cabildo Abierto, Manini Ríos, com entre 10% e 11%. Talvi e Manini Ríos afirmam que pretendem apoiar qualquer rival dos governistas em eventual segundo turno.
Os três institutos informaram que não haviam tabulado todas as suas amostras, portanto os resultados poderiam ainda ser distintos. Para ser eleito no país, o candidato precisa de ao menos 50% mais um voto, caso contrário haverá segundo turno entre os dois candidatos mais votados em 24 de novembro. Fonte: Associated Press.
 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia