Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ciência

Edição impressa de 09/10/2019. Alterada em 09/10 às 03h00min

Pesquisas sobre o universo levam Nobel de Física

Os pesquisadores James Peebles, nascido no Canadá e naturalizado norte-americano, Michel Mayor e Didier Queloz, ambos da Suíça, foram laureados ontem com o Prêmio Nobel de Física 2019 por suas contribuições para o entendimento da evolução do universo e do lugar que a Terra ocupa no cosmos.
Os pesquisadores James Peebles, nascido no Canadá e naturalizado norte-americano, Michel Mayor e Didier Queloz, ambos da Suíça, foram laureados ontem com o Prêmio Nobel de Física 2019 por suas contribuições para o entendimento da evolução do universo e do lugar que a Terra ocupa no cosmos.
Peebles vai receber metade do prêmio, pelas descobertas teóricas da cosmologia física. Já Mayor e Queloz vão ganhar a outra metade pela descoberta de um exoplaneta orbitando uma estrela solar.
O trabalho teórico de Peeble, desenvolvido ao longo de duas décadas, é a base do nosso entendimento moderno sobre a história do universo, desde o Big Bang aos dias atuais. Ele avaliou os 14 bilhões de idade do universo e estabeleceu as teorias sobre sua composição.
Os resultados nos mostraram que apenas 5% do universo é conhecido - a matéria que constitui estrelas, planetas, árvores e seres humanos. O restante, 95%, é matéria escura desconhecida e energia escura. Este é um mistério e um desafio para a física moderna.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia