Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de outubro de 2019.
Dia do Nordestino e dia Nacional do Combate a Cartéis.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ciência

Edição impressa de 08/10/2019. Alterada em 08/10 às 03h00min

Nobel de Medicina vai para pesquisas sobre como células percebem oxigênio

O Prêmio Nobel de Medicina de 2019 foi concedido aos cientistas William G. Kaelin Jr., Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza "pelas suas descobertas de como as células sentem e se adaptam à disponibilidade de oxigênio". O anúncio foi feito ontem em Estocolmo, na Suécia.
O Prêmio Nobel de Medicina de 2019 foi concedido aos cientistas William G. Kaelin Jr., Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza "pelas suas descobertas de como as células sentem e se adaptam à disponibilidade de oxigênio". O anúncio foi feito ontem em Estocolmo, na Suécia.
Na página oficial do Twitter, a organização do Nobel anuncia os três vencedores com um trabalho que "revela os mecanismos moleculares que demonstram como as células se adaptam às variações no fornecimento de oxigênio".
Os vencedores são dois norte-americanos e um inglês. William Kaelin, nascido em 1957, em Nova Iorque, é especialista em medicina interna e oncologia. Gregg Semenza, também nascido em Nova Iorque, em 1955, é pediatra, e o britânico Peter Ratcliffe, nascido em Lacashirem, em 1954, é perito em nefrologia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia