Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Hong Kong

- Publicada em 03h22min, 02/10/2019. Atualizada em 03h00min, 02/10/2019.

Jovem é baleado em protestos no aniversário da revolução chinesa

Um estudante de Ensino Médio de 18 anos foi baleado à queima-roupa por um policial durante um protesto em Hong Kong ontem, dia em que a China celebrou os 70 anos do início de seu regime comunista. Foi a primeira vez que a polícia atirou com munição real contra manifestantes desde que a atual onda de protestos se intensificou, em junho.
Um estudante de Ensino Médio de 18 anos foi baleado à queima-roupa por um policial durante um protesto em Hong Kong ontem, dia em que a China celebrou os 70 anos do início de seu regime comunista. Foi a primeira vez que a polícia atirou com munição real contra manifestantes desde que a atual onda de protestos se intensificou, em junho.
Imagens de uma TV local mostram o momento em que um agente aponta e dispara a arma a poucos centímetros do peito do ativista, identificado como Zeng Zhijian, no bairro de Tsuen Wan, por volta de 16h locais. Em seguida, ele foi atendido na calçada e levado consciente para o hospital Queen Elizabeth.
O estudante foi acusado de atacar os guardas, junto a outros manifestantes. "Policiais alertaram para que eles parassem, mas continuaram a atacar violentamente a polícia. Agentes no local, cujas vidas estavam sendo seriamente ameaçadas, dispararam de modo a proteger a si mesmos e aos colegas", disse Yolanda Yu, superintendente da Polícia. "Nós, da polícia, não queremos que ninguém se machuque, e isso é dolorido para nós", acrescentou.
Segundo o site de notícias South China Morning Post, a bala atingiu o pulmão do jovem, que teve costelas fraturadas, mas não houve ferimento vascular mais grave, e o coração e os rins seguem funcionando. Não há risco de vida.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO