Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de setembro de 2019.
Dia do Administrador e do Médico Veterinário.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

09/09/2019 - 16h16min. Alterada em 09/09 às 16h16min

Cristina Kirchner vai a juízo no caso dos Cadernos das Propinas

O juiz Claudio Bonadio deu por encerradas as investigações, e a causa será levada ao tribunal

O juiz Claudio Bonadio deu por encerradas as investigações, e a causa será levada ao tribunal


JOSE ROMERO/AFP/JC
Agência Brasil
A ex-presidente argentina Cristina Kirchner irá novamente a julgamento, agora na causa conhecida como Cadernos das Propinas (cuadernos de las coimas, em castelhano). O juiz Claudio Bonadio deu por encerradas as investigações, e a causa será levada ao tribunal. No processo em que a ex-presidente é acusada de chefiar uma associação ilícita que se dedicou à arrecadação de propinas, a investigação envolveu 172 pessoas processadas e 31 colaboradores. O nome da causa faz referência aos cadernos de Oscar Centeno, motorista de Roberto Baratta, braço direito do ex-ministro Julio De Vido, que durante anos manteve um registro detalhado da rota das malas com dinheiro que as empresas de construção pagaram aos governos kirchneristas.
A ex-presidente argentina Cristina Kirchner irá novamente a julgamento, agora na causa conhecida como Cadernos das Propinas (cuadernos de las coimas, em castelhano). O juiz Claudio Bonadio deu por encerradas as investigações, e a causa será levada ao tribunal. No processo em que a ex-presidente é acusada de chefiar uma associação ilícita que se dedicou à arrecadação de propinas, a investigação envolveu 172 pessoas processadas e 31 colaboradores. O nome da causa faz referência aos cadernos de Oscar Centeno, motorista de Roberto Baratta, braço direito do ex-ministro Julio De Vido, que durante anos manteve um registro detalhado da rota das malas com dinheiro que as empresas de construção pagaram aos governos kirchneristas.
Centeno também será julgado como membro da organização criminosa. O motorista está em liberdade por ser o primeiro acusado a colaborar com o processo e faz parte do programa de réus protegidos. O ex-ministro Julio De Vido e seu braço direito, Roberto Baratta, estão em prisão preventiva, acusados de associação ilícita. A divulgação pública dos cadernos, em agosto de 2018, abriu um dos maiores processos de corrupção da história argentina. Implicados no processo estão, além de Cristina Kirchner, diversos ex-funcionários do Ministério do Planejamento e uma centena de empresários. O caso dos Cadernos das Propinas" é considerado a célula-mãe, já que dele derivaram seis inquéritos.
Nesta semana, após o juiz Bonadio enviar o processo para juízo, será sorteado o tribunal oral que julgará a ex-presidente. Apenas após essa definição é que será determinada a data de início do julgamento. Com a Argentina em plena campanha eleitoral, e levando-se em conta a saturação do sistema judicial do país, a probabilidade é que a definição de qual tribunal a julgará, e quando começará o juízo, não seja imediata. Cristina Kirchner, que atualmente é senadora, concorre como vice-presidente na chapa liderada por Alberto Fernández. A chapa recebeu 47% dos votos nas eleições primárias realizadas há um mês e que funcionam como uma grande pesquisa nacional. Com esse percentual, a chapa venceria a eleição  em primeiro turno, já que são necessários 45% dos votos para a vitória na primeira rodada.
As eleições gerais estão marcadas para o dia 27 de outubro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia