Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

reino unido

06/09/2019 - 08h57min. Alterada em 06/09 às 08h57min

Alta Corte britânica rejeita ação alegando ilegalidade de suspensão do Parlamento

Estadão Conteúdo
A Alta Corte do Reino Unido rejeitou uma alegação de que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, está agindo contra a lei ao suspender o Parlamento por diversas semanas pouco tempo antes da data-limite programada para o Brexit, como é chamada a saída da União Europeia (UE).
A Alta Corte do Reino Unido rejeitou uma alegação de que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, está agindo contra a lei ao suspender o Parlamento por diversas semanas pouco tempo antes da data-limite programada para o Brexit, como é chamada a saída da União Europeia (UE).
A ativista de transparência Gina Miller levou o governo à Justiça em uma tentativa de parar a suspensão, que começa na semana que vem. Magistrados da Alta Corte decidiram contra ela nesta sexta-feira (6), mas disseram que cabe recurso na Suprema Corte, que deve apreciar o caso em 17 de setembro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia