Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de agosto de 2019.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Alterada em 13/08 às 10h31min

Governo Trump divulga novas regras para restringir imigração ilegal

Normas foram divulgadas pelo governo de Donald Trump nessa segunda

Normas foram divulgadas pelo governo de Donald Trump nessa segunda


NICHOLAS KAMM / AFP/JC
Agência Brasil
O governo de Donald Trump divulgou normas rigorosas que tornarão a concessão de cidadania norte-americana ou status legal de residência permanente muito mais difícil para imigrantes ilegais que entram nos Estados Unidos (EUA).
O governo de Donald Trump divulgou normas rigorosas que tornarão a concessão de cidadania norte-americana ou status legal de residência permanente muito mais difícil para imigrantes ilegais que entram nos Estados Unidos (EUA).
O diretor interino da Agência de Serviços de Imigração e Cidadania dos EUA, Ken Cuccinelli, anunciou as novas regras nessa segunda-feira (12), em entrevista na Casa Branca. De acordo com o novo regulamento, os pedidos levarão em conta a capacidade de satisfazer condições mínimas de renda ou educação, a necessidade de serviços de bem-estar social, como assistência médica ou de alimentação. As normas entrarão em vigor no dia 15 de outubro.
Analistas consideram que Trump está implementando as medidas mais duras contra imigrantes ilegais como forma de conquistar o apoio de eleitores para a próxima eleição presidencial. Oposicionistas do Partido Democrata estão criticando Donald Trump, afirmando que políticas discriminatórias incentivam crimes de ódio que têm como alvo imigrantes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia