Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de agosto de 2019.
Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

Alterada em 09/08 às 08h36min

China pede que Estados Unidos não interfiram em Hong Kong

Agência Brasil
Os Estados Unidos e a China trocaram farpas nesta terça (9) por causa de Hong Kong, que está sendo abalada por protestos contra um controverso projeto de lei sobre extradição. O escritório para assuntos relacionados a Hong Kong do Ministério das Relações Exteriores da China acusou diplomatas norte-americanos de interferirem nos assuntos da cidade.
Os Estados Unidos e a China trocaram farpas nesta terça (9) por causa de Hong Kong, que está sendo abalada por protestos contra um controverso projeto de lei sobre extradição. O escritório para assuntos relacionados a Hong Kong do Ministério das Relações Exteriores da China acusou diplomatas norte-americanos de interferirem nos assuntos da cidade.
As alegações foram feitas depois que a imprensa chinesa publicou fotografia de uma autoridade consular dos Estados Unidos em Hong Kong durante um encontro com ativistas locais. A porta-voz do Departamento de Estado norte-americano Morgan Ortagus reagiu à acusação chinesa e declarou que a divulgação de informações pessoais de um diplomata dos Estados Unidos é "uma atitude digna de um regime truculento."
Ortagus ressaltou que o ato de se encontrar com diferentes pessoas faz parte do trabalho de diplomatas dos Estados Unidos, o que inclui líderes da oposição.
Ela acusou a China de vazar fotos do diplomata, além dos nomes de seus filhos, dizendo que "esta não é a forma que uma nação responsável deveria agir." Uma autoridade do Departamento de Estado norte-americano não revelou detalhes sobre o suposto vazamento de informações pessoais, mas disse que a ação é algo que pode colocar diplomatas e suas famílias em perigo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia