Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de julho de 2019.
Dia da Pizza.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ásia

Edição impressa de 10/07/2019. Alterada em 10/07 às 03h00min

Projeto de lei de extradição está 'morto', afirma líder de Hong Kong

A chefe executiva de Hong Kong, Carrie Lam, disse ontem que o projeto de lei de extradição de suspeitos à China continental está "morto". Ela acrescentou ainda que a condução da proposta pelo governo foi um fracasso total.
A chefe executiva de Hong Kong, Carrie Lam, disse ontem que o projeto de lei de extradição de suspeitos à China continental está "morto". Ela acrescentou ainda que a condução da proposta pelo governo foi um fracasso total.
Lam, no entanto, se negou a anunciar a retirada do texto. "Em certa medida, se retirasse hoje, poderia voltar no Conselho Legislativo em três meses. Se querem escutar algo muito determinante e decisivo, 'o projeto de lei está morto' é uma declaração bastante determinante."
Estudantes universitários que lideram os protestos no território semiautônomo seguem insatisfeitos e exigem a total anulação do projeto. Eles ainda reivindicam investigação independente sobre a atuação da polícia na repressão aos atos, anistia aos detidos e a renúncia de Lam, seguida de reformas democráticas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia