Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de julho de 2019.
Dia do Padeiro.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Grécia

Edição impressa de 08/07/2019. Alterada em 08/07 às 03h00min

Conservadores vencem eleições e assumem o poder na Grécia

Mitsotakis deve ser empossado como primeiro-ministro amanhã

Mitsotakis deve ser empossado como primeiro-ministro amanhã


LOUISA GOULIAMAKI/AFP/JC
Até o início da noite de ontem, o partido de centro-direita Nova Democracia estava prestes a garantir a maioria absoluta no Parlamento da Grécia, elegendo seu líder Kyriakos Mitsotakis o próximo primeiro-ministro. Com 80% das urnas apuradas, os conservadores já reuniam 39,6% dos votos. Pelo sistema eleitoral grego, o Nova Democracia deve garantir 158 dos 300 assentos do Parlamento em Atenas.
Até o início da noite de ontem, o partido de centro-direita Nova Democracia estava prestes a garantir a maioria absoluta no Parlamento da Grécia, elegendo seu líder Kyriakos Mitsotakis o próximo primeiro-ministro. Com 80% das urnas apuradas, os conservadores já reuniam 39,6% dos votos. Pelo sistema eleitoral grego, o Nova Democracia deve garantir 158 dos 300 assentos do Parlamento em Atenas.
O Syriza, do primeiro-ministro Alexis Tsipras, tinha 31,6% dos votos até o momento. Ao assumir o governo em 2015, o premiê tentou enfrentar o grupo de credores do país liderados pela Alemanha, mas foi forçado a recuar e obrigado a adotar medidas econômicas bastante austeras.
Após a parcial, Tsipras reconheceu a derrota. O resultado foi um duro golpe para o premiê, que acreditava ser capaz de superar, até o pleito, a enorme distância da oposição registrada nas pesquisas de opinião. "Os cidadãos fizeram a sua escolha. Nós respeitamos totalmente o voto popular", disse ele em discurso no Centro de Atenas, acrescentando que telefonou para Mitsotakis para parabenizá-lo.
Um ex-banqueiro educado nos EUA, o novo premiê fez campanha por impostos mais baixos, menos burocracia e tornando a Grécia mais amigável para os negócios. Ele prometeu dobrar o ritmo do crescimento econômico grego para 4% e desbloquear rapidamente os investimentos mantidos pela ambivalência do Syriza em relação ao capital estrangeiro. "Serei um primeiro-ministro para todos os gregos", disse Mitsotakis em seu primeiro pronunciamento público na sede do partido. "Estou comprometido em reduzir impostos, com investimentos e a criação de mais empregos e melhores", afirmou.
Os desafios incluem as metas fiscais ainda rígidas acordadas com outros governos da zona do euro, cujos empréstimos de resgate mantiveram a Grécia à tona durante a crise da dívida. A Alemanha e outros credores querem que a Grécia continue administrando um superávit orçamentário, excluindo juros, de 3,5% do produto interno bruto, apesar do estado deprimido da economia do país. O PIB grego ainda está 24% abaixo do seu pico pré-crise.
A Grécia completou seu resgate em 2018, após passar oito anos sob um regime de austeridade supervisionado pelas autoridades da zona do euro e pelo Fundo Monetário Internacional. Depois de sofrer a mais profunda depressão em um país desenvolvido desde a década de 1930, a economia grega está finalmente crescendo, mas a um ritmo de apenas cerca de 2%. Sem uma melhor trajetória de crescimento, a Grécia alcançaria seu nível pré-crise do PIB apenas em 2033, segundo a consultoria Oxford Economics.
Mitsotakis deve ser empossado amanhã. Funcionários da Nova Democracia dizem que o novo governo promulgará legislação rapidamente para simplificar o sistema tributário, reduzir a burocracia e tornar o Estado mais enxuto e eficiente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia