Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de junho de 2019.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

nicarágua

Edição impressa de 12/06/2019. Alterada em 12/06 às 03h00min

Nicarágua liberta presos políticos via lei que também anistia repressores

A Nicarágua liberou ontem os jornalistas Miguel Mora, dono e diretor da emissora 100% Notícias, a principal do país, e a porta-voz do canal, Lucía Pineda Ubao, além de outros 54 presos políticos.
O reencontro dos libertados com familiares e amigos, porém, também teve um gosto amargo. A autorização para deixarem a prisão se deve a uma lei aprovada pelo governo de Daniel Ortega que, ao mesmo tempo em que determina a libertação, confere ampla anistia a militares e membros das forças que reprimiram os protestos que deixaram 325 mortos e mais de 2 mil feridos em pouco mais de um ano. O Centro Nicaraguense de Direitos Humanos chamou a lei de Ortega de "auto-anistia" e afirmou que a ação é ilegal de acordo com leis internacionais.
A crise teve início em 18 de abril de 2018, quando universitários foram às ruas contra uma reforma do sistema de pensões. As marchas começaram a atrair mais gente pedindo a renúncia do governo, e a repressão foi brutal.
 
CORRIGIR