Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de junho de 2019.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Imigração

Edição impressa de 12/06/2019. Alterada em 12/06 às 03h00min

Pedidos de refúgio de venezuelanos na União Europeia aumentam 121%

O número de novos requerentes de refúgio na União Europeia (UE) voltou a aumentar. Desde o início de janeiro até o final de abril, um total de 206.500 pedidos foi registrado pela Agência Europeia de Apoio ao Asilo. No mesmo período de 2018, foram contabilizados cerca de 179 mil.
Segundo os registros, aumentou o número de requerentes de países cujos cidadãos podem entrar no espaço Schengen sem visto, como Venezuela, Colômbia, Albânia e Geórgia. A Venezuela, em grave crise política e econômica, está em segundo lugar, depois da Síria, entre os países de origem dos maiores grupos de solicitantes. O Afeganistão ficou em terceiro.
O número de requerentes de refúgio da Venezuela aumentou em 121%, para 14.257, nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2018. E 8.097 pessoas migraram da Colômbia, cifra 156% maior do que no mesmo período do ano anterior.
Pediram refúgio 20.392 pessoas oriundas da guerra civil na Síria. O número caiu em 8%. Do Afeganistão, 14.042 pedidos foram registrados, 36% a mais.
CORRIGIR