Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Colômbia

Edição impressa de 06/06/2019. Alterada em 06/06 às 03h00min

Ex-presidente colombiano é alvo de investigação no caso Odebrecht

O ex-presidente colombiano Juan Manuel Santos se tornou alvo de uma investigação preliminar feita pela Comissão de Acusação da Câmara dos Deputados por suposta participação no esquema de corrupção da construtora brasileira Odebrecht, informou nesta quarta-feira (5) a imprensa local. A investigação foi aberta após publicação de reportagem da revista Semana em que o ex-senador Bernardo Elías contou sobre supostas doações milionárias da empreiteira à campanha eleitoral de Santos e para a realização do plebiscito sobre o acordo de paz com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).
"Decidimos chamá-lo (Elías) para determinar se os fatos aos quais faz relação na denúncia e o acervo probatório que possamos conseguir nesta etapa dão lugar ou não para um avanço da investigação", afirmou o deputado Ricardo Ferro, presidente da comissão. O ex-senador foi condenado por coautoria e tráfico de influências em investigações relacionadas ao caso Odebrecht.
No ano passado, o Conselho Nacional Eleitoral arquivou investigação contra a campanha de Santos em 2014, decretando a caducidade do processo. Durante a lenta investigação da Justiça colombiana, três pessoas envolvidas no caso morreram após ingestão de cianureto. A empreiteira brasileira teria pago subornos no valor de 84 bilhões de pesos colombianos (cerca de R$ 87,9 milhões), segundo a procuradoria-geral do país.
CORRIGIR