Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de maio de 2019.
Nossa Senhora de Caravaggio - feriado em Caxias do Sul.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

26/05/2019 - 16h29min. Alterada em 26/05 às 16h29min

Governo venezuelano e oposição voltarão à Noruega para conversas

Agência Brasil
A Noruega informou que representantes do governo venezuelano e da oposição retornarão a Oslo depois de uma rodada preliminar de reuniões sobre como abordar a crise política do país. "Anunciamos que representantes dos principais atores políticos da Venezuela decidiram voltar a Oslo, na próxima semana, para continuar o processo facilitado pela Noruega", afirmou o Ministério de Relações Exteriores do país escandinavo, em um comunicado nesse sábado (25). "Reiteramos nosso compromisso com o apoio contínuo à busca por uma solução acordada entre as partes na Venezuela", diz o comunicado.
A Venezuela vive um agravamento da crise política este ano, depois que o líder de oposição, Juan Guaidó, evocou a Constituição para autoproclamar-se presidente interino, chamando a reeleição do presidente Nicolás Maduro, em 2018, de fraude. Mais de 50 países, incluindo os Estados Unidos e muitos membros da União Europeia, agora consideram Guaidó o líder legítimo da Venezuela.  Maduro, que mantém controle das instituições estatais em meio a um derretimento econômico, hiperinflação e crise humanitária, chama Guaidó de marionete de Washington.
O Ministério da Informação da Venezuela não respondeu imediatamente ao pedido de um comentário. A equipe de imprensa de Guaidó afirmou que comentaria em breve. O governista Partido Socialista endossou as conversas, mas simpatizantes da oposição permanecem céticos, argumentando que Maduro já usou o diálogo como tática para enrolar manter o seu poder, enquanto os padrões de vida caem constantemente no país rico em petróleo.
Na semana passada, o parlamentar de oposição Stalin González e dois conselheiros representaram Guaidó, enquanto o ministro da Informação venezuelano, Jorge Rodríguez, e o governador do Estado de Miranda, Héctor Rodríguez, foram a Oslo em nome do governo. Os dois lados reuniram-se separadamente com mediadores noruegueses, mas não houve conversas cara a cara entre governo e representantes da oposição, disse González à imprensa local.  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia