Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Oriente Médio

- Publicada em 19h59min, 21/05/2019. Atualizada em 19h58min, 21/05/2019.

EUA suspeitam que Síria tenha realizado novo ataque químico

O governo dos Estados Unidos diz ter sinais de que o regime da Síria esteja usando armas químicas e tenha realizado um ataque com cloro no último domingo (19), no Noroeste do país, afirmou o Departamento de Estado nesta terça-feira (21).
O governo dos Estados Unidos diz ter sinais de que o regime da Síria esteja usando armas químicas e tenha realizado um ataque com cloro no último domingo (19), no Noroeste do país, afirmou o Departamento de Estado nesta terça-feira (21).
"Infelizmente, continuamos a ver sinais de que o regime (de Bashar al-Assad) possa estar retomando o uso de armas químicas, incluindo um suposto ataque com cloro no oroeste da Síria na manhã de 19 de maio", afirmou Morgan Ortagus, porta-voz da diplomacia americana. "Ainda estamos coletando informações sobre esse incidente, mas repetimos nosso alerta de que se o regime de Assad usar armas químicas, os EUA e nossos aliados responderemos rapidamente e de maneira apropriada."
Segundo Ortagus, o suposto ataque faz parte de uma campanha de Assad que viola um cessar-fogo que tem protegido milhares de civis na região de Idlib. "Os ataques do regime contra as comunidades do Noroeste da Síria têm de terminar", afirmou. "OS EUA reiteram seu alerta, feito primeiro pelo presidente Trump em setembro de 2018, de que um ataque contra a zona de desescalonamento de Idlib representaria uma escalada imprudente que pode desestabilizar a região."
Comentários CORRIGIR TEXTO