Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

argentina

Edição impressa de 14/05/2019. Alterada em 14/05 às 03h00min

Morre deputado argentino baleado próximo ao Congresso

O deputado argentino Héctor Olivares, da aliança governista, morreu no domingo em consequência do ataque a tiros sofrido na quinta-feira nas imediações do Congresso. Olivares era deputado da União Cívica Radical pela província de La Rioja, no Norte do país. Presidente interino do Senado, Federico Piñedo confirmou o fato. O presidente Mauricio Macri decretou luto nacional por 48 horas.
O ataque também causou a morte de Miguel Yandón, coordenador do Fundo Fiduciário Elétrico Federal de La Rioja, que se exercitava com Olivares quando eles receberam disparos feitos a partir de um carro. Foram detidas seis pessoas suspeitas no caso, entre eles Juan José Navarro, um dos ocupantes do automóvel de onde saíram os disparos, que deve ser extraditado do Uruguai. Inicialmente se pensou que haveria razão política para o assassinato, mas as últimas hipóteses se inclinam para razões pessoais, já que Yandón era o principal alvo do atentado.
Olivares estava em estado grave no hospital Ramos Mejía, após receber um disparo no abdômen. Outros políticos do país também lamentaram a morte, entre eles, a ex-presidente Cristina Kirchner.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia