Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Turquia

- Publicada em 03h08min, 08/05/2019. Atualizada em 03h00min, 08/05/2019.

Após eleição ser anulada, prefeito de Istambul disputará cargo novamente

Ekrem Imamoglu, prefeito de Istambul que na segunda-feira teve o mandato cassado após a anulação das eleições municipais, vai concorrer novamente ao cargo no próximo mês. Imamoglu, do Partido Popular Republicano (CHP), venceu o candidato do presidente Recep Erdogan na eleição de 31 de março por uma margem de 13 mil votos. Erdogan declarou, então, que com uma margem tão estreita "ninguém tem o direito de dizer que ganhou".
Ekrem Imamoglu, prefeito de Istambul que na segunda-feira teve o mandato cassado após a anulação das eleições municipais, vai concorrer novamente ao cargo no próximo mês. Imamoglu, do Partido Popular Republicano (CHP), venceu o candidato do presidente Recep Erdogan na eleição de 31 de março por uma margem de 13 mil votos. Erdogan declarou, então, que com uma margem tão estreita "ninguém tem o direito de dizer que ganhou".
Após duas semanas de recontagem de votos, Imamoglu assumiu o cargo em 17 de abril. A decisão de cassar seu mandato e repetir as eleições foi tomada na pelo Alto Comitê Eleitoral da Turquia, atendendo a um recurso do Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), de Erdogan, que cita supostas irregularidades.
Eles argumentam que documentos com os resultados não foram assinados e que alguns mesários não eram funcionários públicos. Erdogan considerou a anulação "o melhor passo" para "fortalecer nossa determinação de resolver problemas dentro da estrutura da democracia e da lei". Já o CHP condenou a decisão e denunciou um "golpe contra as urnas", afirmando que a Turquia está mergulhando em uma "ditadura".
O AKP perdeu o controle de Istambul após 25 anos no poder - um revés para Erdogan, que declarou várias vezes que "quem ganha em Istambul, ganha na Turquia". O partido também perdeu na capital, Ancara.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO