Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Investigação

- Publicada em 03h09min, 08/05/2019. Atualizada em 03h00min, 08/05/2019.

Cidadão alemão é novo suspeito pelo sumiço de Madeleine McCann

Um cidadão alemão condenado pelo assassinato de três crianças é o novo alvo das investigações sobre o desaparecimento da britânica Madeleine McCann, há 12 anos, em um complexo turístico do Algarve, no Sul de Portugal. Segundo informações de veículos de comunicação portugueses, o homem já havia sido identificado como suspeito em 2011 pela Scotland Yard, a polícia do Reino Unido, mas sua relação com o caso foi descartada, pois seu alvo principal eram crianças de sexo masculino.
Um cidadão alemão condenado pelo assassinato de três crianças é o novo alvo das investigações sobre o desaparecimento da britânica Madeleine McCann, há 12 anos, em um complexo turístico do Algarve, no Sul de Portugal. Segundo informações de veículos de comunicação portugueses, o homem já havia sido identificado como suspeito em 2011 pela Scotland Yard, a polícia do Reino Unido, mas sua relação com o caso foi descartada, pois seu alvo principal eram crianças de sexo masculino.
No entanto, descobertas recentemente teriam levado as autoridades a voltarem a investigá-lo como suspeito. As novas pistas surgem pouco mais de 12 anos depois do desaparecimento, ocorrido em 3 de maio de 2007, na Praia da Luz, no Algarve. Madeleine, que na época tinha três anos, dormia junto a seus irmãos gêmeos no apartamento alugado por seus pais quando sumiu. No momento do desaparecimento, eles jantavam com amigos em um restaurante próximo.
Hoje, há duas linhas de investigação paralelas sobre o desaparecimento: uma da Polícia Judiciária portuguesa e outra no Reino Unido, dirigida pela Scotland Yard. A polícia portuguesa confirmou que a investigação sobre Madeleine segue aberta. Até o momento, as mais de 2 mil diligências policiais, 500 buscas na região e 12 mil páginas de processo ainda não conseguiram lançar uma luz sobre o que aconteceu naquela noite.
 

Caso ainda é investigado em dois países

Madeleine desapareceu dez dias antes de completar 4 anos e hoje estaria perto dos 15. Loira e de olhos azuis, a menina estava com os dois irmãos gêmeos, Sean e Amelie, então com 2 anos. Naquela noite, os pais saíram para jantar com três casais de amigos em um restaurante próximo e deixaram as crianças sozinhas no imóvel alugado por eles na Praia da Luz. Quando voltaram, Maddie tinha sumido sem deixar rastros.

Os McCann sempre suspeitaram de um rapto, e as primeiras investigações tinham como suspeito o britânico-português Robert Murat, que morava perto do apartamento. Depois, a Polícia Judiciária suspeitou que os próprios pais tivessem ocultado o corpo da menina após ela ter morrido acidentalmente.

Cães farejadores chegaram a identificar traços de Madeleine no quarto, mas nunca se encontrou um eventual cadáver. Os pais iniciaram então uma campanha internacional para achar a filha, que passou a ser procurada também pela Scotland Yard. No entanto, após milhões de libras gastos em investigações e buscas, as autoridades britânicas também não apresentaram nenhum resultado concreto.

Comentários CORRIGIR TEXTO