Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de abril de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

29/04/2019 - 09h16min. Alterada em 29/04 às 13h59min

Ebola mata 865 pessoas no Congo

Agência Brasil
O número de mortes causadas pelo contágio do vírus Ebola, na província de Kivu Norte, no nordeste da República Democrática do Congo, aumentou para 865 no último fim de semana, informou o Ministério da Saúde do país.
O governo, que combate a epidemia com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e organizações não governamentais, registrou, desde o início da epidemia, 865 mortes, 66 possivelmente causadas pelo Ebola, e 410 pessoas curadas.
O registro de casos de contágio do vírus Ébola cresceu na última semana, fixando-se em1.439, dos quais 1.373 confirmados e 66 possíveis.
De acordo com a mesma nota do governo, existem agora 263 casos suspeitos da doença sob investigação.
Desde a semana passada, foram registrados mais 22 novos casos confirmados, incluindo seis em Butembo, quatro em Katwa, quatro em Mabalako, três em Mandima, três em Kalunguta, um em Beni e um em Musienene.
O Ministério da Saúde da RDCongo admitiu que a epidemia de Ebola, nas províncias de Kivu Norte e Ituri, é já a maior da história do país relativamente ao número de contágios.
O Congo foi atingido nove vezes pelo Ebola, depois da primeira manifestação do vírus no país africano, em 1976.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia