Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Alterada em 25/03 às 12h57min

Maduro diz que assessor de Guaidó preso faz parte de célula terrorista

Marrero foi retirado com violência de casa na madrugada dessa sexta-feira

Marrero foi retirado com violência de casa na madrugada dessa sexta-feira


RONALDO SCHEMIDT/AFP/JC
Agência Brasil
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que a prisão de Roberto Marrero por agentes do serviço de inteligência justifica-se por ele participar de uma "célula terrorista". Marrero é chefe de gabinete de Juan Guaidó, autodeclarado presidente interino da Venezuela e principal opositor de Maduro.
De acordo com a imprensa oficial, a prisão de Marrero foi para desmantelar uma célula terrorista. Segundo informações da AVN, agência pública de notícias da Venezuela, as autoridades de segurança venezuelanas capturaram um chefe paramilitar colombiano contratado pela oposição para promover a violência no país.
Guaidó, nas redes sociais, afirmou que Marrero seu "irmão de luta" seria julgado nos tribunais venezuelanos por "juízes cúmplices na ditadura". Na semana passada, o Grupo de Lima e várias entidades internacionais reagiram à prisão do assessor do presidente interino.
Marrero foi retirado de casa nessa sexta-feira (22) de madrugada. De acordo com relatos, um grupo de agentes secretos encapuzados violaram a residência do assessor parlamentar e o retiraram com violência.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia