Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de fevereiro de 2019.
Carnaval.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Acidente

05/02/2019 - 08h48min. Alterada em 05/02 às 09h17min

Incêndio deixa pelo menos oito mortos em Paris

As autoridades suspeitam que o incêndio tenha sido um ato criminoso

As autoridades suspeitam que o incêndio tenha sido um ato criminoso


Benoît Moser / BSPP - Brigade de sapeurs-pompiers de Paris / AFP/jc
Agência Brasil
Pelo menos oito pessoas morreram em um incêndio de grandes proporções, na madrugada desta terça-feira (5), num edifício de oito andares em Paris. O incêndio deixou também 31 feridos, um deles em estado grave, de acordo com os bombeiros.
As chamas, que começaram por volta da 1h (horário local), de origem ainda desconhecida, só foram controladas por volta das 6h30min.
As autoridades não descartam que haja mais vítimas no prédio, situado no 16º arrondissement (oeste da capital francesa), principalmente nos andares superiores. Segundo um bombeiro, cerca de 50 pessoas foram resgatadas.
As autoridades suspeitam que o incêndio tenha sido um ato criminoso e detiveram uma mulher, que é moradora do edifício e suspeita de iniciar o fogo. "No momento, a hipótese de incêndio criminoso é a que tem mais peso", disse um promotor.
O incêndio pegou de surpresa muitos moradores que dormiam, o que, somado à velocidade com que as chamas se espalharam, pode explicar o elevado número de vítimas.
Trata-se de um edifício da década de 1970, localizado perto do bosque de Bolonha, uma área nobre da capital francesa. O prédio ficou devastado, e dois blocos adjacentes foram esvaziados como medida de precaução.*Com informações da Deutsche Welle (agência pública da Alemanha)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia