Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

cuba

Edição impressa de 09/01/2019. Alterada em 09/01 às 01h00min

Ataques sônicos em Cuba podem ter sido grilos, diz estudo

Meses após a reabertura da embaixada dos Estados Unidos em Cuba, em 2015, diplomatas passaram a ouvir um barulho esquisito, acompanhado de dores de cabeça e náusea. Suspeitando tratar-se de um tipo de "ataque sônico", o Departamento de Estado norte-americano ordenou a retirada de funcionários da ilha. A história, que parece saída de um romance sobre a Guerra Fria, pode ter uma causa bastante trivial: grilos. É o que diz uma dupla de cientistas a partir da análise de uma gravação do ruído, divulgada em 2017 pela agência de notícias Associated Press (AP). A informação é da Folhapress.
Os autores do estudo, Alexander L Stubbs (EUA) e Fernando Montealegre-Zapata (Reino Unido), afirmam que o canto de um grilo Anurogryllus celerinictus, possui características "correspondentes ao conteúdo da gravação publicada pela AP".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia