Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de janeiro de 2019.
Dia da Fraternidade Universal. Ano Novo.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Rússia

01/01/2019 - 13h47min. Alterada em 01/01 às 13h47min

Sobe para 7 número de mortos em desabamento parcial de prédio na Rússia

Equipes de socorro conseguem resgatar bebê de prédio onde houve explosão em Magnitogorsk

Equipes de socorro conseguem resgatar bebê de prédio onde houve explosão em Magnitogorsk


RUSSIAN EMERGENCY SITUATIONS MINISTRY/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O número de vítimas do desabamento parcial de um prédio residencial na cidade de Magnitogorsk, na região russa de Cheliabinsk, subiu para sete. Segundo as equipes de resgate, 37 pessoas residentes do prédio continuam desaparecidas.
As operações de busca foram suspensas temporariamente nesta terça-feira (1), enquanto as equipes de resgate tentam remover ou estabilizar partes da construção que ainda apresentam risco de desabamento.
O desabamento de parte do prédio de 10 andares ocorreu após uma explosão, que possivelmente foi provocada por um vazamento de gás natural. Mais de mil pessoas moram no edifício, e o trabalho de resgate é dificultado pelas baixas temperaturas, em torno de -30 graus. Nessa segunda-feira (31), as autoridades ainda não sabiam informar quantas pessoas estariam em casa nos 48 apartamentos danificados.
O Ministério para Situações de Emergência da região, que fica a 1,4 mil quilômetros ao sudeste de Moscou, confirmou que sete corpos foram resgatados e cinco pessoas estão hospitalizadas com ferimentos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia