Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Nicarágua

Edição impressa de 13/12/2018. Alterada em 13/12 às 01h00min

Segurança que matou brasileira pega 15 anos de prisão

Um juiz da Nicarágua condenou a 15 anos de prisão o homem que confessou ter assassinado a brasileira Raynéia Gabrielle Lima, segundo o jornal nicaraguense El Nuevo Diário. A estudante de medicina de 31 anos foi atingida por um tiro na noite do dia 23 de julho em Manágua, quando voltava de um plantão do hospital para casa, de carro.

O vigilante particular e ex-militar Pierson Adán Gutiérrez Solís admitiu ter sido o autor dos disparos. No julgamento, ele alegou que fazia a segurança da rua ao lado de dois colegas quando o carro de Raynéia se aproximou em alta velocidade, de "maneira errática" e em uma "atitude suspeita". Seus dois colegas se refugiaram na guarita de segurança e um deles chegou a disparar para o alto como um alerta. Solís diz que ficou atrás de um poste de luz, a cerca de seis metros da guarita, e fez vários disparos contra o veículo.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia