Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações exteriores

Edição impressa de 29/11/2018. Alterada em 29/11 às 01h00min

Justiça argentina pede informações de investigação contra príncipe saudita

Príncipe foi recebido no aeroporto pelo chanceler Jorge Faurie

Príncipe foi recebido no aeroporto pelo chanceler Jorge Faurie


SAUDI BROADCAST AUTHORITY/AFP/JC
O príncipe saudita Mohammed bin Salman foi o primeiro líder estrangeiro a chegar a Buenos Aires para o encontro do G-20, que ocorre amanhã e no sábado. Ontem, ele foi recebido no aeroporto pelo chanceler argentino, Jorge Faurie. A Justiça do país, por outro lado, pediu informes internacionais sobre a situação das investigações que envolvem o magnata.
Nos últimos dias, a organização de direitos humanos Human Rights Watch apresentou uma denúncia à Justiça argentina e um pedido de detenção do líder saudita, por conta das acusações de abusos que teriam sido cometidos na intervenção militar de seu país no Iêmen e de seu suposto envolvimento na morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi, na embaixada do país em Istambul, na Turquia. O pedido foi feito pelo promotor Ramiro González, para que a causa seja avaliada pelo juiz federal Ariel Lijo, responsável por apresentar uma resposta à denúncia.
"Os informes têm como objetivo determinar o status do príncipe e da existência de processos em trâmite tanto na Arábia Saudita como na República do Iêmen", explicou González. O processo deve demorar alguns dias, o que poderia fazer com que o pedido fosse em vão, uma vez que o príncipe deve deixar Buenos Aires no sábado.
Bin Salman está instalado na embaixada saudita no bairro de Palermo Chico, em Buenos Aires, cujas ruas vizinhas estão cercadas ao público. Há segurança extra proporcionada pelos organizadores do G-20 para evitar protestos contra o convidado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia