Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Edição impressa de 28/11/2018. Alterada em 28/11 às 01h00min

Ex-chefe de campanha de Trump é acusado de violar delação premiada

Paul Manafort, o ex-chefe de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mentiu para o FBI e para o conselho que investiga a interferência russa na eleição presidencial norte-americana de 2016 mesmo após ter firmado um acordo de delação premiada em setembro, de acordo com o conselheiro especial Robert Mueller, que comanda a apuração sobre o caso. Para ele, Manafort violou o acordo de delação premiada, considerado um ativo-chave na investigação.
Em um documento de três páginas, o escritório de Mueller alega que o ex-chefe de campanha, que se declarou culpado de conspirar contra os EUA e obstruir a Justiça, aceitou em cooperar com a investigação sobre a interferência russa, mas mentiu repetidamente aos investigadores. "Depois de assinar o acordo judicial, Manafort cometeu crimes federais mentindo para o FBI e para o Escritório do Conselho Especial sobre diversos assuntos, o que constitui violação do acordo", diz o documento.
O relatório aponta que a equipe de Mueller faria uma apresentação detalhada que descreveria "os crimes e as mentiras" de Manafort em uma data posterior. O documento registra, ainda, que o acusado "acredita ter fornecido informações verdadeiras e não concorda com a caracterização do governo ou que violou o acordo de delação premiada".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia