Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 25 de novembro de 2018.
Dia do Doador de Sangue.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

25/11/2018 - 11h41min. Alterada em 25/11 às 11h41min

Acordo do Brexit é 'o melhor possível', diz presidente da Comissão Europeia

Estadão Conteúdo
Após a União Europeia aprovar o acordo para saída do Reino Unido do bloco, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, destacou que o pacto é o melhor acordo possível para a Europa e também para os britânicos, apesar de considerar o Brexit um "momento triste" para a UE. Em coletiva de imprensa realizada ao lado de Michel Barnier, negociador-chefe da União Europeia para o Brexit, e de Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, Juncker demonstrou que, caso o Parlamento do Reino Unido rejeite o acordo, não haverá renegociação.
"Os membros do Parlamento britânico têm de se decidir", disse Juncker. Questionado sobre a hipótese de a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, sofrer uma derrota no Parlamento com um voto contra o texto aprovado e ter de pedir nova negociação, Juncker foi enfático: "Esse é o único acordo possível", respondeu.
Barnier adotou um tom menos enérgico e chamou o acordo de "equilibrado" e disse que o texto de quase 600 páginas dá "certeza legal aos que foram afetados pela incerteza" gerada pelo Brexit. "Nós trabalhamos construtivamente com o Reino Unido, e nunca contra. Essa é a hora de todos assumirem responsabilidades", afirmou. O dirigente ressaltou, ainda, que a UE continuará aliada dos britânicos.
Aprovado pela UE nesta manhã de domingo, o acordo do Brexit ainda necessita do aval do Parlamento britânico, onde enfrenta resistência tanto da situação quanto da oposição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia