Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Investigação

Edição impressa de 16/10/2018. Alterada em 16/10 às 01h00min

Secretário dos EUA se encontrará com rei saudita

Mike Pompeo ouvirá explicações sobre o ocorrido com jornalista saudita

Mike Pompeo ouvirá explicações sobre o ocorrido com jornalista saudita


OLIVIER DOULIERY/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ontem que vai enviar o secretário de Estado, Mike Pompeo, para uma reunião com o rei da Arábia Saudita a respeito do desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi. Em seu Twitter, Trump escreveu também que conversou com o rei saudita, Salman bin Abdul-Aziz al-Saud, e que ele disse que "ignorava" o paradeiro de Khashoggi. O jornalista era crítico das políticas de seu país e, segundo a polícia turca, pode ter sido morto dentro do consulado saudita em Istambul quando tentava tirar documentos.
Após a conversa, Trump levantou a hipótese de que Khashoggi possa ter sido assassinado por "matadores", sugerindo que essa pode ter sido a explicação oferecida pelo rei. As buscas no consulado, que seriam feitas por uma equipe conjunta da Turquia com a Arábia Saudita, estavam previstas para a tarde de ontem, afirmou à Reuters uma fonte diplomática turca.
A agência de notícias afirma ainda que o rei Salman ordenou que seja aberta uma investigação interna. Crítico da monarquia do Golfo Pérsico e colaborador do jornal Washington Post, Khashoggi não é visto desde que entrou na representação diplomática, no dia 2 de outubro, para obter documentos para seu casamento. O regime saudita afirma que o jornalista deixou o prédio, mas não ofereceu provas.
O caso provocou indignação internacional, com Trump ameaçando com uma "punição severa" caso se comprove que Khashoggi foi morto dentro do consulado e aliados europeus pedindo uma "investigação confiável".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia