Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ásia

Edição impressa de 16/10/2018. Alterada em 16/10 às 01h00min

Kim Jong-un deseja 'paz duradoura', afirma presidente da Coreia do Sul

Em entrevista ao jornal francês Le Figaro, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, elogiou a "sinceridade" de seu colega do Norte, Kim Jong-un, e pediu à comunidade internacional que o "acompanhe" em seu "desejo de paz". "Apesar da juventude, Kim Jong-un demonstra sinceridade, simplicidade, calma e educação. Durante nossos três encontros neste ano, pude comprovar que tinha uma visão clara da prosperidade e da paz no Sul e no Norte", declarou Moon, durante uma visita oficial à França.
Segundo o presidente da Coreia do Sul, Kim tem, também, "uma forte vontade, com a condição de que seu regime seja garantido, de dedicar toda sua energia ao desenvolvimento econômico de seu país em detrimento da arma nuclear", em um momento de distensão entre as duas Coreias, depois da tensão extrema provocada pelos programas nuclear e balístico de Pyongyang.
"É hora de responder a esses esforços (...), e devemos acompanhá-lo em seu desejo de paz duradoura e sólida", afirmou Moon, enquanto os pontos de vista de Seul e Washington, o outro grande personagem nas negociações sobre a questão nuclear coreana, parecem cada vez mais afastados.
A comunidade internacional está dividida sobre a manutenção ou o alívio das sanções contra Pyongyang, após as declarações de Kim Jong-un a favor de uma desnuclearização. Moon Jae-in é o principal arquiteto da distensão atual com a Coreia do Norte, país submetido a sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) por seus programas nuclear e balístico.
Em meio ao processo de reaproximação, os dois países concordaram ontem em realizar uma cerimônia no final de novembro ou início de dezembro para selar um projeto futuro de conectar ferrovias e estradas. O ministro da Unificação da Coreia do Sul também disse que os norte-coreanos concordaram com a realização, em breve, de palestras militares de nível geral para discutir a redução da tensão na fronteira e a criação de um comitê militar conjunto com o objetivo de manter a comunicação e evitar crises e confrontos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia