Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de outubro de 2018.
Dia do Barman e dia Mundial dos Animais.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

América do Sul

Edição impressa de 04/10/2018. Alterada em 04/10 às 01h00min

Venezuelanos desejam voltar para o Brasil

Há duas semanas, a governadora de Roraima, Suely Campos, foi à Venezuela e fechou um acordo para ajudar o presidente Nicolás Maduro na repatriação de refugiados. O pacto é parte do programa Volta à Pátria, feito pelo chavismo para melhorar a imagem do governo. Em Boa Vista, porém, muitos que aderiram ao programa dizem que usarão a viagem para rever a família e depois voltar ao Brasil.
Richard Cardoso, de 24 anos, chegou há um ano ao Brasil. Veio em busca de melhores condições de vida e deixou a mulher grávida. Em Roraima, trabalha vendendo e descarregando melancias na Feira do Produtor, a R$ 20,00 por dia.
A renda nunca foi suficiente para se sustentar nem para visitar a família. Agora, vai aproveitar o programa para ver a filha que nasceu e visitar os parentes. Depois, pretende voltar, arranjar um emprego melhor e, quem sabe, até trazer a família. "Vou conhecer a minha filha, depois eu volto", afirmou.
A situação na fronteira continua tensa. Todos os dias, mais de 800 venezuelanos entram em Roraima, que, segundo a Polícia Federal, já recebeu mais de 72 mil pedidos de refúgio.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia