Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de outubro de 2018.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ciência

Edição impressa de 02/10/2018. Alterada em 02/10 às 01h00min

Imunoterapia contra o câncer leva o Nobel de Medicina

Membros do comitê do Nobel para Medicina anunciaram os vencedores

Membros do comitê do Nobel para Medicina anunciaram os vencedores


JONATHAN NACKSTRAND/AFP/JC

O Prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia de 2018 foi para o norte-americano James P. Allison e para o japonês Tasuku Honjo pelas descobertas ligadas ao combate do câncer com drogas que aceleram a função do sistema imunológico, a chamada imunoterapia. O anúncio foi feito ontem. A estratégia pode ser traduzida como remover o "disfarce" do tumor para que o próprio organismo lute contra a doença.

A descoberta, de acordo com o Comitê do Nobel do Instituto Karolinska, na Suécia, formou um quarto pilar no tratamento contra o câncer, diferente de tudo que havia até então, como quimioterapia, cirurgia e radioterapia. A pesquisa teve grande desenvolvimento nas últimas décadas e aumentou a efetividade de tratamentos contra vários tipos de câncer que não respondiam bem às drogas que existiam antes, como melanoma, câncer de pulmão e câncer de rim, por exemplo, diminuindo drasticamente a taxa de mortalidade relacionada a eles.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia