Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 01 de outubro de 2018.
Dia Nacional do Idoso e Dia do Vendedor.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Indonésia

Edição impressa de 01/10/2018. Alterada em 01/10 às 01h00min

Número de mortes por terremoto na Indonésia já passa de 800

Maioria das vítimas é da cidade de Palu, a mais devastada

Maioria das vítimas é da cidade de Palu, a mais devastada


MUHAMMAD RIFKI/AFP/JC
A Agência Nacional de Mitigação de Desastres da Indonésia informou que chega a 832 o número de mortes por causa de um terremoto seguido de tsunami no país. O porta-voz da agência Sutopo Purwo Nugroho disse ontem, em entrevista coletiva, que 821 pessoas morreram na cidade de Palu e outras 11 na regência de Donggala.
Segundo ele, o acesso a Donggala, bem como às regências de Sigi e Parigi Moutong, ainda é limitado, e não há relatórios abrangentes sobre essas áreas. Nugroho disse que o número de mortes deve aumentar, porque muitos corpos ainda podem estar sob os destroços ou em locais que não podem ser acessados no momento. A agência de mitigação de desastres da Indonésia anunciou ainda que um enterro em massa será realizado em Palu por razões de saúde.
O terremoto de 7,5 graus na escala Richter atingiu a ilha central de Sulawesi na sexta-feira, criando um tsunami que chegou a seis metros. O presidente Joko "Jokowi" Widodo disse, neste domingo, na cidade de Palu, que o aeroporto local "não está 100% pronto para pousos". "Há muitos desafios. Temos que fazer muitas coisas em breve, mas a condição não nos permite fazê-lo."
Nugroho afirmou que 61 estrangeiros estavam em Palu no momento do desastre, e a maioria já foi localizada. Mas acredita-se que um sul-coreano esteja nas ruínas do Hotel Roa-Roa, onde cerca de 50 pessoas podem ter ficado presas sob escombros. Três visitantes da França e um da Malásia estão desaparecidos. Os sobreviventes serão evacuados para a cidade de Makassar, também na ilha de Sulawesi.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia