Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de setembro de 2018.
Aniversário da cidade de Viamão.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

14/09/2018 - 09h13min. Alterada em 14/09 às 09h16min

Furacão Florence toca terra, é rebaixado à categoria 1, mas ainda ameaça

Autoridades dizem que cerca de 1,7 milhão de pessoas receberam ordem para deixar suas casas

Autoridades dizem que cerca de 1,7 milhão de pessoas receberam ordem para deixar suas casas


Chip Somodevilla/Getty Images/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O furacão Florence foi rebaixado à categoria 1 e tocou terra nos Estados Unidos, perto da praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Mesmo mais fraco do que anteriormente, o fenômeno ainda pode causar estragos, ao passar pela Carolina do Sul, pela Carolina do Norte e pela Virgínia.
O Centro Nacional de Furacões dos EUA informou que Florence tem ventos máximos sustentados de 150 quilômetros por hora, com rajadas de 180 quilômetros por hora. O olho do furacão está próximo de Wrightsville, na Carolina do Norte. Às 7h (hora local), o olho estava 10 quilômetros a leste de Wilmington, na costa da Carolina do Norte.
Autoridades informam que há risco de vida para pessoas na trajetória do furacão. Mais de 60 pessoas tiveram de ser retiradas de um motel que estava prestes a desabar por causa da força das chuvas.
Mais de 80 mil pessoas na Carolina do Norte já estavam sem energia, enquanto mais de 12 mil haviam seguido para abrigos. Outras 400 estavam em abrigos na Virgínia, onde as previsões para o impacto das chuvas são menos graves.
Autoridades dizem que cerca de 1,7 milhão de pessoas nas Carolinas do Sul e do Norte e na Virgínia receberam ordem para deixar suas casas, mas não se sabe quantas cumpriram a determinação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia