Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de julho de 2018.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

argentina

Edição impressa de 19/07/2018. Alterada em 19/07 às 01h00min

Atentado à Amia completa 24 anos sem que ninguém tenha sido preso

Às 9h53min de ontem, horário em que, há 24 anos, ocorreu a explosão da bomba que matou 86 pessoas, feriu mais de 300 e destruiu a sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), em Buenos Aires, teve início um ato em memória das vítimas. O crime até hoje não foi resolvido. A cena foi alterada, e várias pessoas envolvidas com o caso ou foram desligadas por corrupção, ou morreram misteriosamente, como o promotor Alberto Nisman, em 2015.

Ambos os casos - Amia e Nisman - seguem em investigação. No caso do atentado, há seis acusados. Em outubro de 2006, o promotor declarou formalmente que o Irã foi o autor intelectual e o Hezbollah, o responsável por ter levado a cabo o atentado. Foram emitidas ordens de capturas à Interpol a cinco iranianos ligados ao governo e a um libanês, que seria integrante do Hezbollah.

A morte de Nisman, que comandava as investigações, continua um mistério. Embora a Justiça tenha descartado a hipótese de suicídio, sustentada a princípio, ainda não se esclareceu quem teria executado e ordenado o crime. O promotor morreu uma semana antes de apresentar uma denúncia contra a então presidente Cristina Kirchner. Para ele, a mandatária teria colocado obstáculos à investigação sobre a Amia para fechar um acordo comercial com o Irã.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia