Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 13 de julho de 2018.
Dia do Engenheiro de Saneamento e Dia Mundial do Rock.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 13/07 às 09h57min

Centenas de pessoas assistem lançamento de 'bebê Trump' em Londres

O ato, realizado ao lado do Parlamento britânico, é contra a visita que o americano está fazendo ao país

O ato, realizado ao lado do Parlamento britânico, é contra a visita que o americano está fazendo ao país


TOLGA AKMEN/AFP/JC
Folhapress
Centenas de pessoas se reuniram na região central de Londres, no Reino Unido, nesta sexta-feira (13) para ver o lançamento de um boneco inflável gigante que retrata o presidente americano Donald Trump como um bebê cor de laranja.
O ato, realizado ao lado do Parlamento britânico, é um protesto contra a visita que o americano está fazendo ao país.
Após uma contagem regressiva, o balão com 6 m de altura foi içado e ficou a uma altura de dez metros por uma equipe de 16 pessoas identificadas como "babás".
Responsável por organizar o protesto, Daniel Jones, 26, disse que seu objetivo era fazer as pessoas darem risada. "Também serve como um incentivo para aqueles na América que resistem a suas políticas" disse ele.
Trump, que vais e encontrar nesta sexta com a rainha Elizabeth 2ª, disse que pretende evitar a capital devido ao ato.
Na quinta (12),ele criticou o protesto e disse que não se sentia bem recebido na cidade - o lançamento foi autorizado pelo prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan.
Em entrevista a rádio da BBC, Khan defendeu sua decisão. "A ideia de restringir a liberdade de expressão, o liberdade de reunião e o direito ao protesto porque alguém pode ficar ofendido é um caminho perigoso", disse ele. "E nós também temos uma rica história de ter senso de humor neste país", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia