Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de julho de 2018.
Dia da Pizza.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

10/07/2018 - 14h21min. Alterada em 10/07 às 14h35min

Irã quer sacar U$ 350 milhões do banco em notas físicas

Com boicote, país busca estocar dinheiro vivo; EUA e Israel acusam Irã de financiar terrorismo

Com boicote, país busca estocar dinheiro vivo; EUA e Israel acusam Irã de financiar terrorismo


IRANIAN PRESIDENCY/AFP/JC
Agência Brasil
O governo iraniano quer sacar US$ 350 milhões em dinheiro do Banco Comercial Europeu-Iraniano, agência de Hamburgo, na Alemanha. Tem que ser cash e deve chegar a Teerã por avião, já que o Irã está fora do sistema financeiro global por causa das sanções norte-americanas.
O embaixador dos Estados Unidos na Alemanha,  Richard Grenell, pediu ao governo da chanceler Angela Merkel para bloquear o saque. Para ele e Israel, o dinheiro deverá ser usado para financiar o terror no Oriente Médio. Não é o que dizem os iranianos.  Sob boicote internacional, que se agravará em novembro, quando o petróleo iraniano fará parte das sanções, o Irã precisa estocar dinheiro vivo. O turista iraniano, que não tem cartão de crédito válido na Europa e nos Estados Unidos, só viaja com cash.
O ministro das finanças alemão, Wolfgang Schäuble, está examinando o pedido de saque. "Se encontrarmos algo suspeito, suspenderemos a transação", diz sua porta-voz.
Após a conclusão do acordo nuclear com o Irã, o ex-presidente norte-americano Barack Obama enviou US$ 400 milhões por avião a Teerã. O dinheiro foi recolhido nos bancos centrais da Suíça e da Holanda, em euros, dólares e francos suíço, e a carga preciosa, dividida em blocos, ocupou o avião sobre estrados. Agora, o dinheiro será posto em 12 malas, pesando 1.600 quilos, segundo o jornal alemão Bild.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia