Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de julho de 2018.
Dia da Pizza.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

Notícia da edição impressa de 10/07/2018. Alterada em 09/07 às 21h42min

Contra termos do Brexit, três ministros deixam governo

Para Johnson, plano de May dará ao Reino Unido o status de colônia

Para Johnson, plano de May dará ao Reino Unido o status de colônia


BEN STANSALL/AFP/JC
O secretário das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, renunciou ao cargo ontem, tornando-se o terceiro ministro a abandonar o governo de Theresa May em 24 horas. Na sexta-feira, Johnson ajudou a costurar um acordo entre os membros do gabinete sobre a estratégia de May para a saída da União Europeia (UE), o chamado Brexit. Porém, segundo o jornal The Guardian, decidiu não apoiar mais o acordo. Os outros que saíram são o secretário David Davis e seu número 2 no Departamento de Saída da UE, Steve Baker.
"Nesta tarde (ontem), a premiê aceitou a renúncia de Boris Johnson como secretário das Relações Exteriores. Seu substituto será anunciado em breve. A primeira-ministra agradece a Boris por seu trabalho", declarou um porta-voz do governo britânico.
Em carta divulgada após o anúncio oficial do governo, Johnson afirmou que o plano de May "não desce pela garganta" e vai dar ao Reino Unido o status de colônia em relação à UE. "Estamos verdadeiramente no caminho para o status de uma colônia - e muitos lutarão para ver a vantagem econômica ou política desse arranjo", disse ele na carta de duas páginas.
"O Brexit deveria ser sobre oportunidades e esperanças. Deveria ser uma chance de fazer as coisas de modo diferente, de ser mais ágil e dinâmico, e de maximizar as vantagens particulares do Reino Unido como uma economia aberta, voltada para fora", prosseguiu Johnson. "Esse sonho está morrendo, sufocado por uma insegurança desnecessária."
Em discurso no Parlamento, a premiê avisou que "não estamos de acordo sobre a melhor maneira de entregar nosso compromisso compartilhado de honrar o resultado do referendo" em que a população aprovou a saída da UE. May falou ainda que a UE precisa trabalhar de maneira construtiva com a proposta de seu governo, ou arrisca ver o Reino Unido deixar o bloco sem um acordo. Na quinta-feira, ela deve divulgar a íntegra de seu plano para o Brexit.
A saída do Reino Unido do bloco está marcada para 29 de março de 2019, e a UE vem advertindo que o tempo para chegarem a um acordo está terminando. "A bagunça causada pelo Brexit é o maior problema na história das relações entre UE e Reino Unido, e está muito longe de ser resolvida", advertiu ontem o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia