Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de junho de 2018.
Dia da Telefonista.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

imigração

29/06/2018 - 08h46min. Alterada em 29/06 às 08h47min

Líderes europeus chegam a um acordo sobre refugiados

As negociações da cúpula se estenderam na madrugada e discutiram reformas do Brexit e zona do euro

As negociações da cúpula se estenderam na madrugada e discutiram reformas do Brexit e zona do euro


LUDOVIC MARIN/AFP/JC
Agência Brasil
Já eram cinco horas da manhã em Bruxelas quando os 28 líderes europeus conseguiram chegar nesta sexta-feira (29) a um acordo sobre um tema que é o maior desafio da União Europeia: os refugiados. Os principais pontos do consenso foram a criação de centros de controle para receber os migrantes em países voluntários e o aumento do financiamento a países como Turquia e Marrocos, com objetivo de conter o grande fluxo migratório da região.
A reunião do Conselho Europeu, que começou na noite de quinta-feira (28) e entrou madrugada de hoje, foi tensa. O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, logo no início do encontro, ameaçou usar seu poder de veto para impedir qualquer acordo.
Insatisfeito com o fato de a Itália ser a porta de entrada de milhares de migrantes e com a falta de comprometimento de outros países em acolher essas pessoas, ele pedia responsabilidade compartilhada aos líderes europeus. O encontro terminou nove horas depois, com um consenso entre os líderes, que se comprometeram a cooperar. A chanceler alemã Angela Merkel se disse otimista com o resultado, apesar de saber que terá muito trabalho pela frente.
"Após uma discussão intensa sobre o tema mais desafiador para a União Europeia, isto é, a migração, é um bom sinal termos chegado a um acordo sobre um texto comum. A presidência austríaca terá muito trabalho a fazer", afirmou Merkel.
O primeiro-ministro italiano afirmou estar aliviado após o acordo. "No final deste Conselho Europeu, temos uma Europa mais responsável e mais unida. A Itália já não está sozinha", disse.
O presidente francês Emmanuel Macron ressaltou a superação das diferenças entre os países "Nós não somos uma ilha. E devemos ser capazes de enfrentar este desafio, permanecendo leais aos nossos valores e protegendo o nosso povo e a coesão nacional. Hoje à noite, demos um passo importante. Muitos previram a impossibilidade de um acordo. Muitos previram o triunfo das soluções nacionais. Hoje, conseguimos encontrar uma solução europeia e uma maneira de trabalhar em cooperação", afirmou.
Principais pontos acordados
  • Reforçar o controle das fronteiras externas da União Europeia e criar plataformas de desembarque para migrantes resgatados do mar.
  • Criação de centros de controle em países voluntários, de onde os migrantes serão acolhidos e redistribuídos, conforme disponibilidade oferecida pelos países europeus, cumprindo assim o desejo italiano de uma "responsabilidade compartilhada".
  • Financiamento a países do Norte da África e para a Turquia, numa tentativa de impedir a saída de migrantes desses países.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia