Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de junho de 2018.
Dia da Liberdade de Imprensa.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações diplomáticas

Notícia da edição impressa de 08/06/2018. Alterada em 08/06 às 23h45min

Trump cogita não ir à reunião do G-7

Encontro com líder norte-coreano acontecerá em hotel na Ilha de Sentosa, em Cingapura

Encontro com líder norte-coreano acontecerá em hotel na Ilha de Sentosa, em Cingapura


ROSLAN RAHMAN/AFP/JC
O presidente norte-americano, Donald Trump, tem reclamado a aliados da viagem que fará nesta sexta-feira para o Canadá e ameaça cancelar sua participação no encontro do G-7 (grupo das sete economias mais desenvolvidas do mundo). A informação foi divulgada pelo jornal Washington Post.
Segundo a publicação, o presidente teria dito que a ida ao Canadá para a cúpula seria uma distração que poderia atrapalhar sua preparação para a reunião que terá com Kim Jong-un na próxima terça-feira, em Cingapura. O encontro com o líder norte-coreano é considerado a prioridade atual da política externa dos Estados Unidos.
Segundo Trump, a presença no encontro não se justificaria, porque ele discorda da maioria dos líderes que estarão presentes no Canadá e não gostaria de ouvi-los reclamar das atuais políticas comerciais norte-americanas. A cúpula acontece em Charlevoix, uma cidade rural próxima a Québec.
Caso realmente desista de comparecer ao encontro, Trump deve ser substituído por seu vice, Mike Pence, como ocorreu em abril, durante a Cúpula das Américas. Apesar disso, a maioria dos assessores acredita que o republicano deve manter o planejamento e ir ao Canadá, mas que lá pode se recusar a assinar o comunicado conjunto ao fim do encontro.
O governo de Cingapura anunciou detalhes do esquema de segurança que o país vai montar para receber o encontro entre os dois líderes. A cúpula está prevista para terça-feira, mas as medidas passam a valer já no domingo e se manterão até dois dias depois do encontro.
A reunião acontecerá no hotel Capella, que fica na Ilha de Sentosa, uma das 63 que formam a cidade-Estado. O local é conhecido por seus luxuosos resorts e abriga ainda um campo de golfe e parques de diversão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia