Porto Alegre, quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Clima

- Publicada em 13/01/2022 às 11h33min.

Deslizamento de terra destrói casarão histórico em Ouro Preto

Segundo a Defesa Civil do município, ninguém se feriu

Segundo a Defesa Civil do município, ninguém se feriu


TWITTER/REPRODUÇÃO/JC
Um casarão histórico foi destruído devido a um deslizamento de terras na cidade de Ouro Preto, na região central de Minas Gerais. Segundo a Defesa Civil Municipal não há vítimas.
Um casarão histórico foi destruído devido a um deslizamento de terras na cidade de Ouro Preto, na região central de Minas Gerais. Segundo a Defesa Civil Municipal não há vítimas.
O acidente ocorreu no Morro da Forca, no centro histórico de Ouro Preto. Segundo Neri Moutinho, coordenador da Defesa Civil de Ouro Preto, o casarão pertence à prefeitura e estava fechado havia mais de três anos. Os imóveis ao redor também estavam vazios.
Antes do deslizamento, a Defesa Civil já havia sido acionada e conseguiu evacuar e isolar toda a área próxima ao morro e ao casarão atingido.
Devido às fortes chuvas que atingem o estado nos últimos dias, o solo estava muito encharcado. Segundo Moutinho, choveu mais de 370 milímetros em poucos dias na cidade.
Ouro Preto possui, atualmente, 313 áreas de risco e diversos pontos de deslizamentos de encostas.
A Defesa Civil conta com o apoio da Polícia Militar, da Guarda Municipal e do Corpo de Bombeiros. Segundo o coordenador, um geólogo da Defesa Civil está a caminho do local para fazer uma análise mais completa da situação de todo o talude.
As chuvas que atingem Minas Gerais neste início de ano resultaram em mortes, destruição e transtornos no estado. Rios inundaram, moradores deixaram suas casas devido a alagamentos ou ao risco de rompimento de barragens, e a circulação de veículos em rodovias foi afetada em mais de cem pontos. Vale, CSN e Usiminas paralisaram suas operações.
Com as tempestades, 145 municípios estão em situação de emergência.
Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário