Porto Alegre, quinta-feira, 25 de novembro de 2021.
Dia do Doador de Sangue. Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.
Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Limpeza urbana

- Publicada em 25/11/2021 às 12h01min.

Rio Grande do Sul tem 3ª melhor gestão de lixo do Brasil, aponta estudo

Porto Alegre é o sétimo melhor entre os municípios com mais de 250 mil pessoas

Porto Alegre é o sétimo melhor entre os municípios com mais de 250 mil pessoas


Alex Rocha/PMPA/JC
Os números poderiam ser melhores, mas o Rio Grande do Sul se destaca no Brasil quando o assunto é gestão de resíduos sólidos. É isso que mostra o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU 2021), divulgado nesta semana. Realizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb) em parceria com a PwC Brasil, o estudo mostra que o RS possui a 3ª melhor gestão de lixo do Brasil.
Os números poderiam ser melhores, mas o Rio Grande do Sul se destaca no Brasil quando o assunto é gestão de resíduos sólidos. É isso que mostra o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU 2021), divulgado nesta semana. Realizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb) em parceria com a PwC Brasil, o estudo mostra que o RS possui a 3ª melhor gestão de lixo do Brasil.
De modo geral, a região Sul brasileira é a que apresenta pontuação mais alta de acordo com o estudo, com média de 0,545 (em avaliação que vai de 0 a 1) e índice de reciclagem de 7,2%, o melhor do país. Ainda assim, a pontuação representa uma baixa performance de acordo com o índice, que classifica como desempenho médio apenas as cidades com avaliação acima dos 0,600.
Dentre os pontos específicos da análise, a taxa de reciclagem gaúcho é o que mais chama atenção, com 7,4%, sendo o melhor do Brasil.
O Rio Grande do Sul também é o estado com maior número de municípios que aplicam algum tipo de cobrança, na ordem de 83,5%. No entanto, apenas 4,6% (23) das 497 cidades praticam a cobrança integral pelos serviços, enquanto outros 62,6% (311) a praticam parcialmente, cobrindo em média (ponderada entre os municípios) apenas um terço dos custos, ficando o restante às expensas dos orçamentos municipais.
Na semana passada, o presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb), Marcio Matheus, esteve em Porto Alegre para participar de um evento que tratou sobre gestão de resíduos sólidos em um cenário de desenvolvimento sustentável. Matheus defende uma tarifa variável para a cobrança do serviço, mensurada conforme a faixa de renda de cada família. “Quando você rateia os custos via orçamento, você não consegue diferenciar quem tem maior poder aquisitivo, quem consome mais e gera mais resíduo, e quem gera menos resíduo”, afirmou.
Entre os municípios com mais de 250 mil pessoas, Porto Alegre aparece na sétima colocação geral, com índice de 0,728. O primeiro colocado é Santos, no litoral paulista, com taxa de 0,759.
Conforme o levantamento, a Capital coleta 357,3 kg de lixo por habitante ao ano. Em relação ao pagamento pelo serviço de coleta, o custo para os porto-alegrenses é de R$ 177,00 por habitante ao ano.

Confira as 20 cidades gaúchas com os melhores Índices de Sustentabilidade da Limpeza Urbana 

  • 1ª Bento Gonçalves – 0,786
  • 2ª Garibaldi – 0,779
  • 3ª Nova Bassano – 0,765
  • 4ª Erechim – 0,751
  • 5ª Serafina Corrêa – 0,750
  • 6ª Lagoa Vermelha – 0,749
  • 7ª Carazinho – 0,745
  • 8ª Ijuí – 0,744
  • 9ª São Leopoldo – 0,739
  • 10ª Giruá – 0,737
  • 11ª Santa Cruz do Sul – 0,737
  • 12ª Canela – 0,735
  • 13ª Bagé – 0,728
  • 14ª Ilópolis – 0,728
  • 15ª Porto Alegre – 0,728
  • 16ª Feliz – 0,727
  • 17ª Taquari – 0,724
  • 18ª Alegria – 0,723
  • 19ª Nova Petrópolis – 0,723
  • 20ª Vale Real – 0,720
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário