Porto Alegre, quarta-feira, 24 de novembro de 2021.
Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 24/11/2021 às 09h38min.

Pesquisa aponta reajuste médio de 9,8% na mensalidade escolar no RS em 2022

Também pesam no orçamento das escolas os investimentos para o retorno das aulas presenciais

Também pesam no orçamento das escolas os investimentos para o retorno das aulas presenciais


ITAMAR AGUIAR/PALÁCIO PIRATINI/JC
O reajuste médio da mensalidade escolar no Rio Grande do Sul para o próximo ano deve ficar em 9,8%. O dado faz parte de pesquisa realizada pelo Sindicato do Ensino Privado do RS (Sinepe/RS) com 114 escolas associadas - o que representa 37% do universo dos associados neste nível. O reajuste ficará abaixo da projeção de aumento de custos das escolas para 2022, que é de 11,6%.
O reajuste médio da mensalidade escolar no Rio Grande do Sul para o próximo ano deve ficar em 9,8%. O dado faz parte de pesquisa realizada pelo Sindicato do Ensino Privado do RS (Sinepe/RS) com 114 escolas associadas - o que representa 37% do universo dos associados neste nível. O reajuste ficará abaixo da projeção de aumento de custos das escolas para 2022, que é de 11,6%.
O principal item na composição da mensalidade escolar é o custo com pessoal. Além disso, pesaram sobre o orçamento das escolas os investimentos em tecnologia e a adequação para o atendimento dos alunos no retorno às aulas presenciais.
“Nossas escolas tiveram que fazer grandes investimentos para manter as aulas de forma híbrida (com uma parte da turma em casa e outra na escola), como a colocação de câmeras, por exemplo. Da mesma forma, todo o espaço físico precisou ser readequado em função das regras sanitárias. Para fazer essa adequação, a escola deixou de realizar outros investimentos e teve de cortar gastos, uma vez que tivemos um reajuste médio de 3,5% na mensalidade deste ano, enquanto o aumento de custos ficou em 10,9%”, justifica o presidente do Sinepe/RS Bruno Eizerik.
O dirigente lembra ainda que as escolas saíram de um período bastante complicado, que foi o ano de 2020, em que precisaram conceder descontos em função da pandemia e tiveram perda de alunos.
Sobre o número de estudantes, a pesquisa mostra que 31,8% das escolas não tiveram perda durante a pandemia, 11,5% recuperaram seus alunos quando as aulas presenciais voltaram ainda no ano passado, e 19,5% recuperaram os estudantes neste ano. Para 2022, 37,2% das escolas esperam recuperar os alunos perdidos durante a pandemia.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário