Porto Alegre, sábado, 01 de maio de 2021.
Dia do Trabalho.
Porto Alegre,
sábado, 01 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campanha

- Publicada em 17h08min, 01/05/2021. Atualizada em 17h10min, 01/05/2021.

Ação tem venda de gás de cozinha por R$ 35,00 na Lomba do Pinheiro

Famílias pré-cadastradas puderão adquirir produto por menos da metade do valor de venda

Famílias pré-cadastradas puderão adquirir produto por menos da metade do valor de venda


Coletivo de comunicação MAB/Divulgação/JC
Sessenta famílias da Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, puderam adquirir nesta sábado (1) um botijão de gás de cozinha ao preço de R$ 35,00. Elas foram pré-cadastradas e fizeram a retirada ao longo do dia em três pontos organizados pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e pelo Sindipetro-RS, para evitar aglomeração.
Sessenta famílias da Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, puderam adquirir nesta sábado (1) um botijão de gás de cozinha ao preço de R$ 35,00. Elas foram pré-cadastradas e fizeram a retirada ao longo do dia em três pontos organizados pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e pelo Sindipetro-RS, para evitar aglomeração.
A ação faz parte da campanha nacional “Gás a preço justo”, que tem como objetivo alertar a população sobre como a política de reajustes dos combustíveis adotada pela Petrobrás, baseada no Preço de Paridade de Importação (PPI).
“O gás de cozinha hoje é vendido por cerca de R$ 100,00 no Brasil, mas fizemos vários estudos que mostram que, se fosse ofertado por R$ 35,00 a R$ 40,00 cobriria todos os impostos e ainda daria lucro para as empresas. Poderíamos ter esse valor se houvesse vontade política dos governantes”, comenta o coordenador municipal do MAB, Fernando Fernandes.
Para ele, usar como referência os preços internacionais e a cotação do dólar só penaliza a população. “Isso não é viável para o Brasil. Temos petróleo aqui, baixo custo de produção e empresas com tecnologia para fazer todo esse processo. É uma política que só beneficia os acionistas”, critica.
Ações como essa já vem sendo realizadas desde 2020, mesmo antes da pandemia da Covid-19. Apenas na Lomba do Pinheiro, mais de 200 famílias já foram beneficiadas. No total, foram mais de 500 famílias, em ações realizadas por diversas entidades.
Campanhas como essa estão sendo realizadas em todo Brasil lideradas pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos, em parceria com a Central de Movimentos Populares (CMP) e outras organizações sociais.
Na quinta-feira (29/4) as mobilizações ocorreram em 11 cidades do país e ofertaram botijões de gás de cozinha por valores entre R$ 29,00 e R$ 50,00 de acordo com a região. Além dos botijões, as ações distribuíram cestas de alimentos, máscaras de proteção contra a Covid-19 e itens de higiene para prevenção à pandemia, como álcool gel.
Para os organizadores, o preço do gás de cozinha tem agravado ainda mais a já delicada situação econômica da população brasileira. Somente nos quatro primeiros meses deste ano, o produto subiu 22,7% nas refinarias da Petrobrás. Nos últimos 12 meses, o botijão teve alta recorde de 18,2% para o consumidor, sendo 10,5% somente no primeiro trimestre deste ano e 4,6% em março.
"É cada vez mais comum ver famílias utilizando lenha para cozinhar. E não por escolha, ao contrário do que tentam passar, mas sim por não ter dinheiro para pagar até R$ 120,00 por um botijão de gás de cozinha. As pessoas têm que escolher entre comer ou comprar gás, isso quando têm o que comer, aponta o coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário