Porto Alegre, domingo, 04 de abril de 2021.
Aniversário da cidade de São Gabriel.
Porto Alegre,
domingo, 04 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

VIOLÊNCIA

- Publicada em 18h49min, 04/04/2021.

Carrefour faz acordos com família de Beto Freitas e ressalta compromissos contra o racismo

Carrefour destaca compromissos e obrigações na luta contra o racismo no País

Carrefour destaca compromissos e obrigações na luta contra o racismo no País


CARREFOUR/DIVULGAÇÃO/JC
Em paralelo aos acordos judiciais firmados com a família de João Alberto Freitas, o Beto, espancado até a morte em uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre, em novembro do ano passado, o grupo supermercadista negocia junto ao Ministério Público gaúcho uma indenização por danos morais coletivos, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), estabelecendo compromissos e obrigações da empresa na luta contra o racismo no País.
Em paralelo aos acordos judiciais firmados com a família de João Alberto Freitas, o Beto, espancado até a morte em uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre, em novembro do ano passado, o grupo supermercadista negocia junto ao Ministério Público gaúcho uma indenização por danos morais coletivos, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), estabelecendo compromissos e obrigações da empresa na luta contra o racismo no País.
A informação foi divulgada pela assessoria do Carrefour Brasil, que, destacou ainda que "combater o racismo é um tema que precisa ser prioridade de todos e o Carrefour entende que precisa desempenhar um papel importante neste contexto". A empresa informa que assumiu oito compromissos com mais de 50 iniciativas públicas para o combate à discriminação e pela inclusão de negros, como forma de contribuir para o enfrentamento do racismo no Brasil.
Também enfatizou a criação de um Fundo de Diversidade, cujos recursos serão destinados a ações de impacto na sociedade. Para acompanhar os compromissos assumidos, o grupo lançou ainda o site Não Vamos Esquecer, que reúne todas as ações nesse sentido.
Beto foi espancado e morto por dois seguranças do Carrefour do Passo D'Areia, em 19 de novembro.
Segundo a empresa, "desde a trágica morte ocorrida em novembro de 2020, o Grupo Carrefour Brasil prestou assistência financeira e psicológica à família de João Alberto Freitas", e com atendimento de assistente social, apoio psicológico e financeiro para gastos do dia a dia da família de Beto Freitas. A empresa comunica ainda que buscou celebrar acordos para indenização dos membros da família da vítima, e que oito já tiveram indenizações definidas e, em alguns casos, pagas.
O único acordo não finalizado até o momento é o que envolve a viúva de Beto, Milena Borges Alves, que não aceitou os valores propostos pela empresa, o que, segundo o Carrefour, "tem dificultado o consenso".
Comentários CORRIGIR TEXTO